NFL - Playoffs

  • Crédito: Getty Images Sports

    Rodgers irá tentar dar o troco pela derrota na final da NFC de 2014 frente aos Seahawks

O que esperar da Rodada Divisional?

MVP, síndrome da melhor campanha, revanche e chance de redenção marcam playoffs neste final de seman
Por: Redação - 11/01/2020 12:10:17

Neste sábado (11) e domingo (12) serão realizados os jogos da Rodada Divisional dos playoffs da NFL. Esses duelos equivalem a semifinais das Conferências e irá decidir os finalistas da AFC e da NFC.

Além do caráter mata-mata, todos os jogos carregam batalhas individuais e cada equipe luta para voltar ao Super Bowl ou chegar pela primeira na grande decisão do futebol americano.

Confira abaixo mais sobre cada um dos duelos da Rodada Divisional:

Minnesota Vikings x San Francisco 49ers:

Duas das mais tradicionais franquias da NFL se encaram nesse duelo. Os Vikings nunca conquistaram o Super Bowl, mas chegaram quatro vezes a disputar o jogo, sendo a última em 1976, quando foram derrotados pelo Oakland Raiders.

Já os 49ers possuem cinco títulos do Super Bowl, tendo jogado pela última vez na final em 2012, quando no ‘Harbough Bowl’ perderam o jogo para o Baltimore Ravens de Joe Flacco e Ray Lewis.

Os 49ers entram na partida como a melhor campanha da NFC. Na primeira temporada inteira de Jimmy Garoppolo no comando de ataque da equipe, San Francisco conseguiu ter um ataque dinâmico, lembrando o trabalho do técnico Kyle Shanahan em seus tempos de Atlanta Falcons.

Melhor que o ataque, somente a defesa. Mestra em forçar turnovers, o setor cresceu muito com a chegada do calouro Nick Bosa, que deu vida ao pass rush da equipe e ajudou a melhorar todo o sistema.

Já os Vikings entram na partida após surpreenderam o New Orleans Saints em pleno Mercedes-Benz Superdome. Na vitória, o ataque aéreo – tão criticado na temporada, foi fundamental.

Kirk Cousins demonstrou segurança nos momentos decisivos e se novamente sair sem turnovers, os Vikings podem conquistar outra vitória fora de casa nos playoffs. Vale lembrar que o running back Dalvin Cook teve uma queda grande de desempenho no segundo tempo de jogo, forçando ainda mais o desempenho de Cousins.

A defesa não teve desempenho igual ao dos 49ers na temporada regular, mas é muito perigosa. A secundária tem cedido muitas jardas, mas segue firme em forçar turnovers e o pass rush é muito perigoso, principalmente com Danniele Hunter bem fisicamente.

Fique de olho nos 49ers: Jimmy Garoppolo. Playoffs carregam diferenças dos jogos da temporada regular e Garoppolo vai jogar seu primeiro jogo em pós-temporada. Os Vikings são uma equipe mais experiente, inclusive em playoffs. Mesmo tendo um elenco melhor, um início de jogo ruim pode minar as confianças de San Francisco e principal do quarterback calouro.

Fique de olho nos Vikings: Dalvin Cook. Sim o jogo aéreo domina a NFL, mas essa temporada temo mostrado que um jogo terrestre eficiente aos passes pode ser decisivo. Cook é o principal jogador do ataque dos Vikings e uma boa performance contra a forte defesa dos 49ers, vai ajudar muito Cousins.

Tennessee Titans x Baltimore Ravens

O duelo opõe duas equipes criadas recentemente na NFL, ambas no final da década de 1990. Mas a história dos Ravens tem dois Super Bowls conquistados e frequente participação nos playoffs, enquanto os Titans raramente conseguiram sair da sombra de Indianapolis Colts e Houston Texans.

Exceção foi em 1999, quando em uma temporada surpreendente chegou ao Super Bowl e ficou a duas jardas de vencer o St. Louis Rams e conquistar o título. Já os Ravens têm 100% de aproveitamento no Super Bowl, tendo vencido em 2000 e 2012.

Nessa temporada os Ravens contam com a explosão de Lamar Jackson na liga. Virtual MVP, Jackson quer apagar a terrível performance frente ao Los Angeles Chargers nos playoffs do ano passado e acabar com qualquer dúvida sobre sua qualidade.

A defesa ainda sólida, trouxe durante a temporada o cornerback Marcus Peters, sempre forte nas interceptações, ficando ainda melhor para conseguir forçar turnovers. Além disso, com Justin Tucker como kicker, avançar após o meio de campo já pode render no mínimo três pontos.

Já os Titans tentam novamente chocar a liga e domar outra dinastia. Após uma sólida vitória contra o New England Patriots em Foxborough, um triunfo em Baltimore colocaria essa geração na história.

Isso em uma temporada em que o técnico Mike Vrabel colocou o então titular Marcus Mariota no banco e apostou em Ryan Tannehill, que se não brilhante, tem movido as correntes com eficiência, muito graças a mais uma temporada excelente de Derrick Henry, líder de jardas terrestres nesta temporada.

 Fique de olho nos Ravens: Lamar Jackson. Todos os olhares do mundo estarão em como o quarterback vai reagir ao voltar para um jogo de playoffs. Assim como o caso de Garopollo, um bom início de jogo é fundamental para tirar a pressão e utilizar suas principais armas para cansar a defesa dos Titans.

Fique de olho nos Titans: Derrick Henry. Os Titans venceram os Patriots nas trincheiras, controlando o tempo do jogo terrestre e deixando o ataque de Tom Brady o menos possível em campo. Para isso a atuação de Henry é fundamental, punindo e cansando a defesa dos Ravens e ‘esfriando’ Jackson no ataque.

Houston Texans x Kansas City Chiefs

Esse duelo opõe uma das franquias mais tradicionais contra a mais jovem da NFL. Os Chiefs foram campeões do Super Bowl IV em 1969, mas desde então jamais voltaram a disputar a decisão do futebol americano. Já os Texans sequer participaram da partida.

O duelo também marca o confronto de dois quarterbacks jovens e já consolidados dentro da NFL. Deshaun Watson, que conquistou sua primeira vitória em playoffs no último final de semana contra Patrick Mahomes, atual MVP da NFL.

Watson contou com uma linha ofensiva de melhor nível nesta temporada, mas mesmo assim ainda sofre com o pass rush dos adversários. O quarterback compensa essa falha na proteção com excelente trabalho de pernas e resistências fora do pocket.

A defesa deve contar ainda mais com J.J Watt, que mesmo em atuação reduzida, viu o defensive end conseguir importante sack contra Josh Allen na última semana. Pressionar Mahomes é uma chave quase que obrigatória para a vitória.

Mahomes, por sinal, mesmo sem apresentar todo seu arsenal nesta temporada, tem conseguido colocar os Chiefs no caminho das vitórias. Mesmo assim, o quarterback é muito dinâmico e excelente em queimar blitzes para big plays.

Já a defesa é o grande calcanhar de Aquiles do time. No ano passado, Brady conseguiu dominar o setor no segundo tempo para eliminar os Chiefs na final da AFC. Watson é excelente lançando fora do pocket e DeAndre Hopkins é quase imparável. Dificilmente Mahomes não terá que trabalhar pelo setor também.

Fique de olho nos Chiefs: Tyreek Hill. Se tem um jogo nesses playoffs que deve ser protagonizado pelos ataques é essa partida. Além disso, o potencial de big plays é grande. Para os Chiefs, Hill é o jogador mais dinâmico e deve causar estragos na ainda irregular secundária dos Texans.

Fique de olho nos Texans: DeAndre Hopkins. Os Texans ainda sofrem com uma ‘Hopkins dependência’, com o bom desempenho receiver sendo fundamental para o ataque se desenvolver, como visto semana passada contra o Buffalo Bills. Contra a secundária instável dos Chiefs, Hopkins deve ter mais uma boa performance.

Seattle Seahawks x Green Bay Packers

A Final da NFC de 2014 ainda está entalada na garganta dos ‘cabeças de queijo’. 16 pontos de vantagem viraram poeira com algumas trick plays e um grande desempenho de Russell Wilson, que colocaram os Seahawks no Super Bowl daquela temporada – que não se transformou em bicampeonato, devido a uma não corrida de duas jardas.

Ambas as equipes são consolidadas na história recente da liga, tendo em Wilson e Aaron Rodgers verdadeiras instituições de suas respectivas franquias. Curiosamente nos bancos de reservas se enfrentam um dos técnicos mais velhos (Pete Carroll) e um dos mais novos (Matt LaFleur).

Os Seahawks tiveram uma temporada de altos e baixos, mas novamente chegam como uma equipe perigosa de se enfrentar nos playoffs. Wilson segue um dos melhores quarterbacks da liga e com o desabrochar de D.K. Metcalf, o jogo aéreo da equipe ficou ainda mais perigoso.

A defesa não tem mais a Legion of Boom, mas tem talentos para forçar turnovers e pressionar Rodgers durante todo o jogo. Somente contra o Philadelphia Eagles na semana passada foram sete sacks cometidos.

Os Packers também não foram regulares em toda temporada, mas assim como os Chiefs, encontraram o caminho das vitórias para conseguir a semana de descanso. Rodgers viu seus números ofensivos caírem, mas em compensação tem cometido menos turnovers.

Se o ataque já não é tão brilhante, a defesa se tornou de primeira linha. Os ‘Smith’ Preston e Za’Darius foram contratados no último período de agentes livres e tornaram o pass rush da equipe muito forte. Wilson não terá tempo dentro do pocket, ainda mais com o jogo terrestre destroçado pelas lesões.

Fique de olho nos Packers: Aaron Jones. Em uma temporada de Christian McCaffrey, Dalvin Cook e cia, muitos se esquecem de quão bom Aaron Jones é. O running back é fundamental para mover as correntes da equipe, inclusive recebendo passes. Cansar a defesa dos Seahawks pode ser a chave para derrotar o rival e vingar 2014.

Fique de olho nos Seahawks: Jacob Hollister. O jogo terrestre dos Seahawks praticamente não existe com tantas lesões. O setor basicamente produz bem perto da end zone ou com Marshawn Lynch recebendo passes. Por isso, os passes curtos podem ser uma excelente saída e Hollister já mostrou ser um recebedor confiável nessas rotas. Não se assuste se o tight end liderar os Seahawks em recepções na partida.

Compartilhe



Veja também...

    Deixe um comentário

    Seu e-mail não será publicado. Campos Obrigatórios *

    Publicidade
    Publicidade
    Publicidade
    Publicidade